Skip to content

Episódio 2: Isa Pires

Nasceu em Cabo Verde e aos 19 anos foi estudar para o Alentejo. Há pouco mais de um ano Isa Pires tornou-se a chef do Mizu Teppanyaki. “Ainda não pensei fazer uma cachupa com miso! Se calhar funcionava”, brinca.

Isa Pires interrompe o trabalho de ajustes na carta para o verão do Mizu para se sentar à conversa com o Assim Assado na varanda do restaurante Atlântico. Podia ter sido na varanda do próprio Mizu, mas o sol das três da tarde ainda não era o mais confortável.

Um dos melhores na região

Aproveitei uma passagem pelo Festival MED, em Loulé, para fazer um desvio até Alporchinhos. É lá que lidera esta cozinha japonesa, uma das melhores na região algarvia: sofisticada, delicada, precisa e metódica. Isa Pires foi a aposta do Vila Vita para elevar os clássicos sabores nipónicos – por exemplo, o do bacalhau preto do Alasca; ou o uso do grelhador robata que usa um carvão que aquece mais lentamente e que impede que os produtos ganhem um sabor a defumado.

Uma mistura de exigência e rigor japoneses – já elogiados por nomes como Akira Hayashi, Paulo Morais ou Daniel Rente, entre outros – com a diversidade cultural que existe na cozinha do Mizo. Além do talento e da capacidade de se adaptar aos sabores, a chef Isa Pires revela ser uma excelente gestora de gostos e de personalidades.

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *